loader

MARKETING DIGITAL ESTÁ FORA DA CRISE, MAS FALTA QUALIFICAÇÃO!

O mercado está promissor, apesar do cenário econômico do país, mas você deve atualizar a sua comunicação.

O movimento no mercado digital nacional fechou 2015 acumulando um impressionante marco de $ 16 bilhões em anúncios digitais. Essa é a boa notícia. A notícia ainda melhor é que essas tendências estão apenas começando. Tudo indica que os negócios digitais encontram-se aumentando ainda mais. Crescimentos consistentes em gastos com publicidade e posicionamento, que mesmo com uma pequena desaceleração trazem uma previsão de um aumento do orçamento digital saudável de 13,2% para 2016. Uma direção que parece clara para 2017, você tem de alcançar e influenciar os consumidores móveis.

Atualização do profissional e do mercado

Boa notícia saber que os ventos estão bons para o marketing digital no Brasil, mas, e o conhecimento? Esse é um dos grandes problemas, pois, pelo cenário atual é que não há nenhuma evidência de que o marketing de excelência está aumentando. O grau de competência do mercado não registra melhora. Para combater isso, as empresas precisam investir em formação.

Os profissionais de marketing devem planejar onde investir seus recursos de olho em inovações e tendências mais recentes, é o desafio de manter-se atualizado. Mas, no mercado as coisas acontecem em tempos e dimensões diferentes. A tecnologia e comunicação mudam muito rápido, como os formatos dos conteúdos que mudam diariamente, mas no comércio a coisa anda mais lenta.

Já era de se esperar a explosão do marketing móvel, pois tudo agora é feito no celular, buscas, redes sociais, receitas de publicidade Facebook, aplicativos, etc. O crescimento do mercado mobile tem a cada dia um crescimento escalado, infelizmente muitos empresários no Brasil ainda não reconhecem essa evolução e estão deixando de fazer muitos negócios por que não acompanham as mudanças. É comum encontrar empresários e empresas que são completos fantasmas na web, típico dos anos noventa do século passado.

A mudança sísmica no mercado com celular

“O crescimento de marketing para smartphones mostra um mercado que tem um futuro épico. O acesso à internet via celular triplicou no Brasil nos últimos 3 anos. O número de brasileiros que usou o celular para se conectar à internet mais do que triplicou nos últimos três anos. 47% dos brasileiros com 10 ou mais anos usaram o telefone móvel para navegar na web.  Destes, 84% afirmaram usar a internet quase todos os dias. O número de domicílios brasileiros com conexão à internet foi de 50%. Na região Sudeste, 60% dos entrevistados tinha acesso, e na região norte, 35%.  Na classe A, a proporção de domicílios com acesso à internet foi de 98%, enquanto nas classes D e E apenas 14% estavam conectados. Nas áreas urbanas, a proporção foi de 54%, enquanto nas rurais foi de 22%.”

(Rererência: http://zip.net/bftwpD )

“Dados Relevantes do Mercado Mobile:

  •   48% dos usuários de internet móvel no Brasil são das classes AB e 46% pertencem à classe C
  •   68% dos usuários de internet móvel no Brasil têm entre 16 e 34 anos e 11%, entre 35 e 44 anos
  •   54% dos usuários de internet móvel no Brasil são homens e 46%, mulheres
  •   63% dos usuários de internet móvel no Brasil usam um plano de dados pré-pago, 18% assinam um plano de dados pós-pago e 19% não têm plano de dados.
  •   35% dos usuários de smartphones são da classe C; 49% são da classe B; 12% são da classe A e 4% das classes D e E
  •   22% dos usuários de smartphones visitaram a loja física depois de ver anúncio em seus dispositivos
  •   77% acessam as redes sociais através do celular.”

(Referência: http://zip.net/bjtwsy )

É bom saber que…

  • Quem quiser sobreviver no mercado nos próximos anos terá melhorar as comunicações integradas com os consumidores para melhorar a eficácia das interações com os clientes em diferentes dispositivos e em diferentes canais.
  • É natural o aumento de empresas que estão trabalhando ativamente na transformação digital. Essas marcas vão ter de aprender a lidar com crises com dispositivos e interações off-line com os consumidores.
  • Tarefas que não podem ser contornadas para todos: insights de marketing de busca; ferramentas de automação de marketing; ferramentas de personalização e automação de marketing ou serviços em nuvem; e marketing móvel. Não é apenas isso, mas é um bom início.
  • O marketing de entrada terá que equilibrar quantidade com qualidade. Os profissionais que usam essa estratégia já percebem que está mais difícil rentabilizar suas audiências, pois o mercado está ficando exigente. Os lobos da internet já começar a dispersar.

Gostaria de saber o que você acha desse post, deixe sua opinião.